27 fev 2017

Eu tenho Síndrome de Pânico sabe?

Postado em: Comportamento

Olha, eu tenho Síndrome do Pânico sabe? E, eu não sei se os sintomas de todos são iguais ou se acontece só comigo, mas qualquer barulho estranho, cheiro (no meu caso esses dois são porque aconteceram já coisas aqui em casa que eu escutei ou senti o cheiro de algo que depois se transformaram em coisas terríveis, com isso fiquei com uma certa paranóia), mudanças (seja no trabalho, na vida pessoal, no país), tomam proporções muito maiores do que as pessoas que não possuem essa doença (ou outras de âmbito psicológico/psiquiátrico) possam pensar.
Pra ter uma ideia, eu já tive um pequeno incêndio aqui em casa, então todo cheiro de queimado, vindo até da rua, eu já fico apavorada.
Outra ideia, meu teto de gesso caiu por causa de uma infiltração, então todo pequeno barulho eu já fico em estado de alerta, sim além do medo existe um “estado de alerta”, e isso me causa muito mal a ponto de outras coisas que seriam importantes eu deixar de lado.
Eu imagino que não é fácil conviver com uma pessoa assim, e principalmente sendo mulher porque quando estamos de TPM sabemos que os hormônios aumentam todos os nossos sentidos e sentimentos.
A falta de ar, o pânico, o alerta, a angústia e etc tomam conta constantemente, mesmo com tratamento.
Eu sei o que preciso fazer pra que isso não me afete tanto, mas sei também que quando estamos passando por determinados momentos da nossa vida é quase que impossível traçar todos os passos terapêuticos pra que isso não me me afete tanto.
Eu sei que todos, com ou sem essa doença, tem problemas em suas vidas, sim eu sei.
Mas eu gostaria muito que pessoas que não tenham essa doença e que convivem com a gente, seja virtualmente ou pessoalmente, a partir do momento que sabem dessa condição pudessem se informar mais para uma convivência melhor.
É muito difícil para nós, neuroatípicos, as vezes sequer saber se estamos em crise ou não.
Eu gostaria muito que houvesse um remédio, uma sessão de terapia, uma macumba, uma reza, uma oração que pudesse jogar pra longe isso tudo, mas não é bem assim.
Sabemos que é um conjunto de fatores/ações que temos que tomar para poder melhorar essas crises e fobias, muitas vezes medicação (coisa que eu detesto) com terapia e etc.
Mas eu realmente gostaria que as pessoas que não possuem “isso” pudessem ter uma noção, eu digo noção porque não vão saber como realmente é ou como realmente se desenvolve em nós, e com essa noção baseada em estudos (tem muita coisa na internet) e até grupos de familiares pudessem no mínimo nos entender e ajudar.
É só isso mesmo.

Comentários

Comente no blog!