08 jan 2017

Como ser chata pra cacete

4frdji6 Eu e sr. dos Anéis conversando:

– Amor
– Oi
– Você me ama como amava no começo?
– Sim
– Igual ao começo?
– Sim, ué
– Mas você não me ama mais do que o começo?
– Porque Marília meu amor no começo era uma merda?
– Não, tinha que amar mais né?
– Tá eu te amo mais, mas continua fazendo carinho aí nas minhas costas
Adoro esse marido, porque tem horas que eu sou chata pra caralho.

08 jan 2017

Marília criatura louca

tumblr_lmwq2mof181qe60d0o1_500 Isso aconteceu em janeiro de 2016, mas relendo meus posts no face achei interessante postar aqui também:

Marilia, criatura louca, sai para comprar um microondas porque o dela quebrou.
Ok, Imperador chega cedo e leva a dona Marilia Alves pro shopping com dona Gigi.
Um carro atravessa na nossa frente num puta engarrafamento e seu Imperador solta uns palavões, a doida Marília começa a ficar muito p*&¨¨%$ da vida (porque tem síndrome de pânico e tem horror a xingamentos no trânsito), porém começa a xingar o cara também.
Afinal Gigi estava no carro.
O cara pára o carro em pleno viaduto (calma é pequeno) e acha que vai discutir com um homem, afinal o carro é filmado, ao invés disso antes do Imperador sequer abrir o vidro, salta Marília (louca, descabelada, de chinelo e uma roupa que mais parecia um pijama) e começa a discutir com o cara em plenos pulmões, falando que a atitude dele poderia ter causado um acidente e sequer ele pensou nisso, claro com muitos palavrões. #soudessas
O camarada atônito por estar discutindo com uma mulher que sai do banco do carona, completamente louca e aos berros nem sabe o que falar e ainda me pergunta porque estou gritando (sendo que ele saiu do carro gritando).
Pergunta¹: Quando esse cara pensou que ele parar em cima de um viaduto e sair com aquele jeito de macho alfa ia topar com uma mulher que encarou ele e ainda mandou ele pegar o ferro dele porque eu já tava com o meu? (no caso o meu ia ser o ferro da marmita mesmo)
Pergunta²: O maluco pensou que ia topar com uma doida mais doida que ele?

28 nov 2016

Cabelos: Naturalidade e volume são tendências para os dias quentes

Bruno Dantte, especialista em cabelos étnicos, explica qual o corte ideal para cada fase da vida

Texto enviado pela assessoria da marca e reproduzido de forma integral

beautiful-women-1806280_640

Cada temporada traz novas tendências ao nosso cotidiano. Quando o assunto são os cabelos, fora o que é visto nas passarelas, as celebridades ditam a moda e apresentam o que “fará a cabeça” das pessoas.

Para os dias quentes da primavera/verão, naturalidade e volume são as grandes apostas para os fios crespos e cacheados. “A tendência são fios mais naturais e com volume, cabelos desconstruídos e despojados sem perder o ar de arrumado. Alguns exemplos são as madeixas de Juliana Paes, Tais Araújo e Sheron Menezes”, destaca Bruno Dantte, Hair Stylist especialista em cabelos étnicos.

No ramo desde os 20 anos de idade, o profissional pontua que nas colorações a moda é investir em cabelos com cores quentes, como o vermelho fechado e de assimetrias exageradas.

Em qual idade?

Para cada fase da vida, o ideal é investir em um look. O cabeleireiro destaca como cada mulher pode mostrar sua essência. “Até os 20 anos, é hora de ousar no corte. Já para quem está mais próximo dos 30, recomendo cabelos longos com várias camadas”, orienta.

Às balzaquianas, Bruno Dantte afirma que o ideal é experimentar o long bob. Já para quem tem mais de 50 anos, o hair Stylist aconselha o uso dos clássicos como o Chanel de base igual, por exemplo.

Os homens também precisam cuidar do visual. Até os 20 anos, eles podem copiar o ídolo dos gramados, da televisão, da música ou o vizinho que dita tendência. “Entre os 20 e 30 anos, o legal é um corte desfiado com as laterais e a nuca mais curta. Para quem tem entre 30 e 40 anos, oriento que deixe crescer um pouco mais e use o cabelo penteado para a lateral”, diz.
Aos que estão perto dos 50 anos, um curto raspado nas laterais sempre cai bem! A cima dos 50 anos, o conselho é fazer o corte que mais lhe agrada no momento ou até mesmo cultivar uma vasta cabeleira grisalha, que tal? “Ahhhh… para quem gosta, a barba está ‘liberada’para todas as idades”, conclui.

Sobre Bruno Dantte

Cabelereiro desde os 20 anos, Bruno sempre gostou de cachos e cabelos naturais, o que o levou a conhecer a linha DevaCurl no ano de 2008. Trabalhou na representação da marca no Brasil por quatro anos e passou a integrar o time de profissionais da Clínica dos Cachos em janeiro de 2014. Formado pela W. Academy, do Rio de Janeiro, participou de feiras e congressos.

Posts Antigos1234567... 122»