14 jan 2015

Blogagem Coletiva – Dietas: modinha ou busca real por uma vida mais saudável?

Aêêêêêê, galerinha da onze

Depois de um longo e tenebroso inverno – mentira aqui tá Rio 40º Cidade Maravilha purgatório da beleza e do caos – voltamos com a nossa programação.

E vocês tudo bem, bem, bem?

Então começamos de ano e várias promessas né? Uma delas que mais vimos em nosso desafio fotográfico do #blogosferamaisunida foi o de 80% (média nossa tá?) das participantes foi o desejo e promessa de emagrecer.

Aí a gente se pergunta: Até aonde vai isso? É moda ou uma busca real de uma vida mais saudável?

Eu mesma fiz a promessa de começar a caminhar, comprei tênis e tudo, então né?

Num mundo aonde a obesidade mórbida é um dos motivos maiores de mortandade, ficamos mais atentos à nossa saúde, mas eu disse, obesidade mórbida!

Ficamos mais propensos à fast foods, pizzas e certas guloseimas que a gente começa de vez em quando e acabamos, no de vez em sempre e isso nos custa muito, porque a saúde vai pro brejo minha gente!

Eu vejo os dois lados da moeda:

Primeiro. Vejo uma enxurrada de fatos e fotos em favor da ditadura à beleza da magreza, por todos os lados: revistas, propagandas (já viu modelo de lingerie mais cheinha?), desfiles com modelos magérrimas, até em propaganda de cerveja tem gente, praticamente sem um pingo de gordura. E com isso, várias pessoas são influenciadas e acabam em dietas muito loucas: da água, da lua, do sol, do cheiro (essa eu inventei: vc fica cheirando chocolate e vivendo de luz), e tantas outras, sem nenhum acompanhamento médico.

Vejo também as academias lotadas e também sem nenhum acompanhamento médico, porque não dá pra ficar igual as modelos de TV, cada pessoa tem seu biotipo, genética…

Ou seja: estão ficando magras sim, mas a que custo? Será que vale à pena esse corpo perfeito e sua saúde sei lá como?

Isso tudo pode gerar uma ansiedade e com isso uma depressão profunda por não ter o corpo ditado como “ideal” para os padrões da sociedade.

Segundo. Eu vejo as pessoas conscientes que querem manter um peso ideal para sua saúde, com acompanhamento médico, mas sem obsessão ou extrapolando seus próprios limites.

Conquistar a forma física ideal para o seu corpo não quer dizer que você vai ficar com o mesmo peso e corpo daquela modelo da revista top, isso não é felicidade, mas sim conquistar uma melhoria de vida, com alimentação mais saudável, tomando suplementos e/ou fazendo exercícios corretos, para seu biotipo, para não ficar sedentário (sim o sedentarismo pode causar muitos problemas) e com isso uma vida mais saudável.

Eu me toquei quando vi em um episódio do programa televisivo Saia Justa, em que as meninas falavam sobre sedentarismo e quanto podia ser prejudicial à saúde… Decidida, comprei um tênis e comecei a fazer caminhada, no  meu ritmo, sem extrapolar e para depois não ficar toda doída à ponto de nunca mais querer andar na vida. Com isso tenho me sentido melhor, embora o calor no Rio esteja atrapalhando um pouquinho meus planos de saúde… #+40ºC

Acho que todo mundo tem a forma física que necessita ter, penso que conforme o biotipo e genética. E tem mais. Tem muita gente que está super saudável e satisfeito com seu corpo mesmo que para os padrões da sociedade esteja “acima do peso”. Acima do peso ideal só seu médico poderá lhe dizer se você está ou não e quais as complicações disso.

Acredito na beleza real – aquela na qual cada pessoa tem suas particularidades, corpo, genética, estilo de vida, aliada ao tempo e vontade de buscar um viver mais saudável para o hoje e o amanhã. Da mesma forma que vale buscar um amigo para saber qual suplemento está tomando, vale, saber do médico se há algum problema no corpo que o impeça de consumir algo, por alergia ou intolerância, por exemplo, antes de começar uma dieta específica e personalizada (dieta = alimentação diária e não somente como muita gente pensa, como restritiva). Se a grana está curta, acho que todo mundo já sabe o que escolher no dia a dia: alimentos mais naturais (integrais ou com menos química, corantes, conservantes, emulsificantes), menos industrializados e embutidos (presuntos, queijos amarelos, salames e afins), menos bebidas alcoólicas e gordura (frituras, margarina) e açúcar (doces), muita água (1 litro a cada 50 quilos/peso), mais frutas e verduras e legumes, proteínas … E se for para emagrecer, comer menos do que o corpo vai gastar nas atividades do dia a dia.

E vale muito a pena, meninas!

Então vamos dar mais valor à nossa saúde do que aos padrões impostos, todos os dias, pelos veículos de comunicação? Seu corpo agradece e sua cabeça também.

Essa é uma blogagem coletiva do #blogueirasmaisunidas e você pode ver todas elas no instagram do grupo @blogmais.

Outras blogueiras que fizeram a blogagem coletiva, vale muito ler a opinião dazamigas né?

Nina Rosa Hot : Dietas: modinha ou busca real por uma vida mais saudável?

Baú Hype: Dietas: modinha ou busca real por uma vida mais saudável?

Blog da Priscila: Porque você faz dieta?

Garotas Rosa Choque: Fazer dieta é diferente de ser saudável

28 mar 2014

Uma carta para o meu eu de 10 anos atrás!

Postado em: Blá blá blá • Blogagem ColetivaCoisas da GigiComportamento • Cotidiano • Reflexões

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Gente essa postagem era pra sair no comecinho de Março, mas eu pensei tanto no que dizer que acabei me perdendo! Eu tenho tanta coisa pra dizer a mim mesma que posso me alongar e não quero isso, mas é quase uma volta ao passado.

Marília,

Você ainda vai passar por algumas coisas na vida, mas saiba que você não vai desistir.

Esse novo marido (já é o terceiro0 heim? Por favor!), é uma pessoa ótima, maravilhoso e companheiro.

Amiga querida, essa síndrome do pânico vai te assombrar mais um pouco, e você vai em um momento parar de sair de casa, mas isso não pode deixar você triste, quebre a corrente que te liga à isso e vai em frente.

Você vai ter sim uma filha linda e maravilhosa, tudo o que você sempre quis na vida, mas quando você sentir uma enorme vontade de ser a mãe perfeita: PARE!

Você sempre será uma mãe maravilhosa pra ela, até porque é uma criança linda demais e tem muito amor pra dar, ela vai te pegar de um jeito que você vai olhar pra trás e não se lembrará da vida sem ela.

Ah ela vai ser a cara do pai hahahaha!

Não se preocupe que no começo ela não vai falar, depois você vai ver só o que lhe espera: O DIA TODO FALANDO!

Mas saiba que ela vai te fazer rir e muito, nunca mais você vai se sentir sozinha, e um milhão de alegrias essa nininha vai te dar.

Uma dica pra sua vida ser um pouquinho menos estressante: Não confie tanto nas pessoas, elas vão te decepcionar, vá devagar e mesmo assim desconfie sim, isso não é pecado e nem vai fazer mal, apenas vai te fazer ter menos decepções. Eu sei o quanto as amizades são importantes pra você, mas tem gente que entra de mansinho e depois te quebra.

Pare de tentar agradar todo mundo, isso vai te fazer mal e nunca conseguimos agradar à todos querida, nem dê ouvidos demais à todo mundo, vai ter uma hora que você vai errar com isso, olhe pra dentro de si e veja que você é mais que capaz de conduzir sua vida.

Pelo amor de Deus! Não se culpe tanto se aquela profissão que você decidiu estudar pra caramba você não gostar mais, não vai adiantar nada tentar tanto assim, você vai acabar achando uma que você vai se apaixonar e se dedicar muito mais.

Aquela música (Como nossos pais) é mentira, não somos como eles, podemos ser sim melhores ou diferentes, não tente se igualar.

Tire muitas fotos da nininha, porque ela vai crescer e você vai sentir falta disso.

Não perca tempo pensando o que poderia ter feito, o que fez ou o que não fez está no passado, esqueça, não guarde tanto mágoa de você mesma por isso, já foi!

Foque mais nas pessoas que te fazem bem sem querer nada em troca, elas sim vão te dar muita força para seus projetos.

Mas seja menos impulsiva, porque isso te faz muito mal, você sempre fez as coisas assim paft puft, de agora em diante não dá mais, pense uma, duas, três vezes.

E vai ter momentos em que você vai se sentir muito feliz, mas pelo amor de Deus não abra tanto esse bocão pra todo mundo, isso gera um monte de problemas.

No mais querida, continue sendo quem você é, liga aquela tecla que você sempre liga e continue indo à luta, porque ninguém vai fazer por você o que você necessita de verdade.

P.S: Não tem fotos porque você é uma mutante e de vez em quando joga as coisas fora sem perceber.

P.S.²: Pelo amor de Deus, pare de cortar o cabelo!

P.S.³: Pare de gastar já!

Gostou e quer ler outras cartas? Faça parte do grupo do grupo do Rotaroots no Facebook para acompanhar as outras atualizações e leia a TAG original “Uma Carta” no blog Hypeness.

08 mar 2014

Hoje eu não quero flores! Quero só seu respeito.

Este post faz parte da blogagem coletiva especial do “Dia Internacional da Mulher” promovido pelo Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Na boa? Eu acho um saco essa história de mulher não pode isso, não pode aquilo.

Eu fico atordoada com tudo que acontece com as mulheres mundo à fora, gente não é só as humilhações que passamos por causa do fiu fiu, não poder colocar uma roupa mais decotada que já somos chamadas disso e aquilo.

Eu vou muito mais além! Como eu já disse aqui nesse post sobre a série Half  the Sky as mulheres sofrem opressão no mundo inteiro.

A jornada encontra mulheres e jovens vítimas do tráfico de escravas, falta de educação e violência moral e sexual.

Eu vou repetir o que eu disse no post citado:

Eu assisti a série e fiquei muito comovida com as histórias, pois são muito impactantes. Muito fortes. Fazem realmente a gente pensar sobre a opressão de muitas mulheres no mundo inteiro.

E não pensem que isso só acontece nos países que eles citam, acontece também bem no nosso quintal, com menos ou mais gravidades, mas estamos tão atentos a outros fatos corriqueiros, que nem percebemos a gravidade da questão.

Essa coisa de ser estuprada e a família ficar com vergonha acontece no mundo todo, por isso, que as vítimas não gostam de denunciar os algozes, pois além de terem sofrido tal violência, ainda são discriminadas pela sociedade. Um crime que gera efeitos causando outro crime. Estupro e discriminação. Hediondo. Isso tem que mudar.

Não, queridas amigas, precisamos de uma voz maior a favor das mulheres e meninas que vemos a beira da prostituição em nosso país também, além de ler, se informar e ajudar mesmo que distante essas mulheres que passaram por tudo e continuam fazendo a diferença.

Como? Precisamos pensar na importância da globalização, não só em como tudo de bom chega até nós, mas sobretudo, dos direitos humanos básicos, do direito a viver dignamente, da felicidade genuína, do maior bem do mundo: o respeito à própria vida.

Façamos nossa parte e respeitemos uns aos outros, e que a própria globalização, em nome das leis, tradições, ONGs, instituições, fundações, movimentos de pessoas, programas de massa etc etc  sirva de leve e trás e leve mais respeito, oportunidade e dignidade a todos(AS) e nos traga melhores notícias.

E uma música pra lembra que respeito é bom e nós gostamos:

E outra pra descontrair um pouco mas pra pensar:

 

Posts Antigos1234567