04 fev 2017

O que acontece com o corpo quando saímos do sedentarismo?

Postado em: CorpoExercícios Físicos

Equipe do Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa mostra benefícios de sair do sedentarismo

Saia do sedentarismo

Nenhum medicamento consegue ser tão completo quanto o exercício físico. Ao iniciar a prática de exercícios físicos, todos os sistemas orgânicos são estimulados e adaptações fisiológicas que atuam na prevenção de doenças são iniciadas. Essas alterações agem diretamente na manutenção da saúde e do tratamento e reabilitação de uma série de patologias cardiovasculares, respiratórias, musculoesqueléticas, neuropsicológicas, imunológicas, digestivas, endocrinológicas e oncológicas. “Os exercícios promovem adaptações bioquímicas aeróbias e anaeróbias, em nível celular e sistêmico, estimulam as fibras musculares lentas e rápidas e trabalham as variáveis resistência, força, flexibilidade, estabilidade, potência e velocidade (dependendo dos objetivos específicos como a prática de algumas modalidades esportivas ou profissionais)”, afirma Dr. Luis Felipe, médico do esporte do Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa de Gramado – RS.

Cada hora dedicada ao exercício físico aumenta duas horas o tempo de vida do indivíduo, aponta uma pesquisa da Universidade de Stanford que acompanhou durante 25 anos mais de 17 mil estudantes recém-formados. “Conclui-se, então, que sair do sedentarismo é quase uma questão de sobrevivência, pelo menos da sobrevivência de uma vida plena e saudável em que possamos desfrutar de cada fase da melhor maneira possível”, destaca a fisioterapeuta Grasiele Schwengber do Kurotel.

Seja como for, antes de iniciar um programa de exercícios é fundamental realizar uma avaliação médica para minimizar os riscos, otimizar o treinamento e receber uma prescrição adequada e individualizada quanto a frequência, duração, volume, intensidade e tipos de exercícios.

Sobre o Kurotel 

Fundado em 1982 por Luís Carlos Silveira, e sua esposa, Neusa Silveira, o Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa, está localizado em meio às belezas da Serra gaúcha, na cidade de Gramado. É reconhecido por promover e estimular as pessoas a se comprometerem com um estilo de vida mais saudável, motivando escolhas positivas. Valorizando a vida nos sentidos quantitativo (longevidade) e qualitativo (vitalidade e bem-estar).

03 fev 2017

Infelicidade no trabalho pode estar ligada a sentimento de vazio

Postado em: ComportamentoTrabalho

75% dos brasileiros não se sentem realizados com vida profissional. Líder-coach Maura de Albanesi analisa que o sentimento do “vazio” está relacionado com o mal-estar no campo profissional. Isso acontece porque poucas pessoas se conhecem tão bem para saber o que realmente gostariam de fazer

305124_679184_triste

Noites em claro, mal-estar no trabalho, um pensamento de que as coisas deveriam ser melhores e diferentes. “Esse é o vazio, um sentimento característico e que muitas pessoas já tiveram, mesmo que tenham nomeado de outra forma (dúvidas, medo, depressão, insegurança…). É um sentimento de que as coisas não estão certas, mesmo que você não saiba dizer o que está faltando”, explica a psicóloga e líder-coach Maura de Albanesi (www.mauradealbanesi.com.br). Para ela, esse é um dos grandes pontos para entender a infelicidade no campo profissional, uma das áreas que mais tem chamado a atenção de especialistas. Pesquisa recente da International Stress Management no Brasil (Isma-BR) traz dados alarmantes: apenas ¼ dos brasileiros se sentem realizados com a vida profissional.

Maura de Albanesi explica que, hoje, esse sentimento de vazio que acompanha muitas pessoas diminui o “percentual de felicidade profissional”. “A nossa ocupação deve estar intimamente ligada a nosso eu. Passamos cerca de 200 horas por mês no trabalho. Isso é mais tempo do que passamos com as pessoas que amamos: e é tempo demais para fazer o que não se ama”, comenta. “E o vazio se relaciona com essa situação porque, hoje, pouquíssimas pessoas sabem o que realmente amam. Então, quem não sabe tem sempre a esperança de que algo venha a acontecer — sem ter ideia do que espera de fato”, completa.

Mas afinal, qual o motivo do vazio? “Esse sentimento envolve senso de significado de vida. É como houvesse um enorme ponto de interrogação que você não consegue responder. E isso está relacionado à falta de autoconhecimento”, explica. “Será que você se conhece tão bem para definir o que você realmente ama fazer?”, questiona a líder-coach. “Apenas quando você se avaliar pelas suas próprias lentes, e não pela dos outros, você terá capacidade de ser feliz e encontrar o sucesso profissional”, explica. De forma geral, Maura salienta que conhecer e reconhecer as forças, talentos, necessidades, fraquezas e limites é essencial para quem deseja eliminar o vazio. E sugere dois conceitos para serem pensados:

• “O ser humano não é perfeito. Em meu trabalho, em meus relacionamentos, em minha família, eu não devo procurar perfeição nos outros, mas devo buscá-la para mim, para que eu alcance minha felicidade”.
• “Ao reconhecer que a vida é um fluxo, eu me permito aprender, errar, acertar e reconhecer que estou conscientemente em um fluxo de desenvolvimento que só é possível com o autoconhecimento”.

Maura explica: “Veja que, na primeira frase, você aceita as falhas dos outros sem culpa, mas assume a responsabilidade pela sua própria melhoria e por uma busca da individualidade e da felicidade. Na segunda frase você permite conscientemente se descobrir, tentar acertar mais, arriscar e, principalmente, se conhecer – o que é fundamental para a busca da felicidade”. A profissional indica repetir, questionar, internalizar e viver as frases, para quebrar o vazio.

Fonte: Maura de Albanesi é mestre em Psicologia e Religião pela PUCSP, Pós-Graduada em Psicoterapia Corporal, Terapia de Vivências Passadas (TVP), Terapia Artística, Psicoterapia Transpessoal e Formação Biográfica Antroposófica, atua com o ser humano há mais de 30 anos.

02 fev 2017

Nutricionista aponta 5 alimentos importantes para um café da manhã equilibrado

Lara Natacci indica quais itens podem contribuir para começar bem o dia

Café da manhã

Para se sentir bem disposto ao longo do dia é importante tomar um café da manhã balanceado, que inclua proteínas, vitaminas, minerais e carboidratos. Depois de um longo período de jejum, esta é a principal refeição que tem a função de repor a energia gasta pelo organismo durante o sono e também colabora para as atividades do começo do dia.

Ingerir os grupos de alimentos corretos é essencial para ter um café da manhã equilibrado. A nutricionista Lara Natacci, do DietNet, orienta a optar por itens com nutrientes variados e que também ajudem a manter a sensação de saciedade.

Anote os 5 grupos de alimentos que a Lara selecionou como sugestão para compor o seu café da manhã:

  1. Inclua uma fonte de cálcio e proteínas, como o leite (ou seus derivados: iogurtes e queijo) ou bebida à base de soja;
  2. Invista em cereais (como pães, biscoitos, bolo simples) que conferem energia para começar bem a manhã. Priorize as versões integrais por terem mais fibras e ajudarem a manter a sensação de saciedade;
  3. Adicione uma fonte de gorduras insaturadas, importantes para o bom funcionamento do organismo e na prevenção de doenças cardiovasculares. Uma opção interessante é o creme vegetal, que dá um sabor gostoso no pão, bolo, biscoito, torrada ou mesmo na tapioca. O azeite de oliva também pode ser utilizado, assim como as sementes oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas), e o abacate.
  4. Deixe ainda mais gostoso, incluindo frutas, que são excelente fonte de fibras, vitaminas e minerais;

5. Beba chá. Os chás (verde e preto) possuem teanina, um aminoácido que ajuda a dar aumentar a atenção e foco nas atividades. Os chás têm menor quantidade de cafeína que o café, logo, também são uma ótima alternativa para começar bem o dia!

Posts Antigos«1 ...34567891011... 486»