28 maio 2013

Mãe Neura, Filha de Boa! Mãe Doente….

Créditos Imagem: The Happy Family

Créditos Imagem: The Happy Family

Hã?

Como?

Mas isso acontece? Aonde? Você já viu?

Mãe fica doente?

Pois bem caras colegas de auditório, quem me acompanha no meu face pessoal sabe que há duas semanas atrás eu fiquei com dengue (sim pode acompanhar meu face porque meu mural é público), e como eu com dengue fico mais dengosa ainda a coisa ficou feia.

Mas eu me peguei super me cobrando porque tinha além do meu trabalho, blog e marido tinha a Gi pra cuidar.

Minha cabeça quase entrou em pane porque tinha dias que eu não aguentava levantar da cama, porém virei a incrível colocando a capa da mulher maravilha eu levantava fazia tudo que tinha que fazer, deitava, levantava de novo terminava minhas funções de mãe e no fim do dia eu ia curtir (curtir é ótimo ?) minha dengue.

Por um lado eu vi que mãe fica doente sim! Antes de nos tornamos mães éramos simples seres humanos que ficávamos de cama e tudo! Olha só que disparate!

Brincadeiras à parte, depois de ser mãe eu vi que ficar doente é um privilégio, porque nossos filhos quando pequenos tem as necessidades que só você pode suprir.  Como assim? Você não pode delegar essas funções pra mais ninguém?

Na nossa cabeça não, na nossa cabeça só a gente vai fazer o correto e bem feito. Mas…

Não é bem assim, cada um sabe aonde seu calo aperta, e depois de vestir a capa e me acabar eu fiquei pior ainda.

Poxa numa dengue o que te recomendam? Descansar! E eu não fiz nada disso… e o que houve? Fiquei pior.

Então comecei a ver que apesar de mãe, somo seres humanos carentes de todas as necessidades como os outros, e se pudermos delegar determinadas funções que achamos que só nós vamos fazer direito, minhas amigas um conselho?  Delegue sim!

Então de dia estava lá eu com capa e tudo, mas quando o Sr. dos Anéis chegava em casa eu entregava o cargo e ia pra minha caminha ser mimada inclusive pela Gi (que foi a melhor das enfermeiras).

Percebi que nos cobramos tanto em ser as melhores, as únicas, as perfeitas que esquecemos que somos como todo e qualquer ser humano providos de imperfeições e falhas, inclusive de doença também.

A partir daí eu comecei a melhorar, porque apesar de continuar mãe eu decidi ser mulher também.

Mãe não fica doente, mãe não chora, mãe não tem fome, mãe tem tempo pra tudo e pra todos, mãe sabe de tudo, mãe mãe mãe aiiiiiiiiiii

Minha gente minha boa gente, quando você solta esses grilhões de culpa e super poderes de sua vida você se sente tão mais leve.

É difícil claro admitir que não tem super poderes, é difícil quase impossível não se meter quando os outros estão tomando conta da sua cria enquanto vc está de cama impossibilitada de fazer do jeito, mas é necessário!

É necessá¡rio porque a partir desse momento você começa a encarar a realidade. A dura realidade que é claro nenhuma mãe quer encarar de que não é uma heroína de capa vermelha, mas um ser humano.

E porque será que não queremos encarar essa verdade? Simples, estereótipos de mães que vemos em comerciais de margarina aonde a vida é tão bonita na mesa do café da manhã.

Encare! Nem sempre nossa mesa de café da manhã vai ter aquele monte de fruta, sucos, leite, café, e Ufa!

Encare! Seu filho não vai chegar do quintal e encontrar macarons em uma tijela.

Encare! Você também fica doente e seus super poderes são guardados na gaveta pra tirar os vick, xarope e analgésico.

27 nov 2009

COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ!

Postado em: ComportamentoMaternidade

Sobre minha filha, amor de mãe, amor que eu tenho por minha filha

Essa é a Gi, meu sonho, minha vitória, minha cópia, minha vida.

Eu venho tentando falar dela há muito tempo, mas não consigo palavras pra descrever, eu sou corujona, nem sei como era a vida antes dela, é mais ou menos do tipo “Depois de você os outros são os outros e só!”

Quem é mãe sabe como é difícil falar dos próprios filhos, descrever esse amor é impossível, ainda mais sendo filha única. Todas queremos ser uma mãe amorosa, a mãe da minha filha sabe disso kkk

Eu fui mãe aos 34 anos, achava que sabia de tudo porque tinha ajudado a cuidar da minha sobrinha e afilhada (Linda também, super inteligente e etc), mas quando minha filha nasceu eu fiquei toda enrolada, entrei na neura que não sabia nada, que não ia ser boa mãe por causa do despreparo e etc. Mas as coisas foram evoluindo e eu aprendendo, claro que minha mãe, minha irmã e as especialistas de plantão me ajudando. E incrível ver a evolução dos filhos, os primeiros meses, o primeiro ano, segundo e terceiro e lá vai fumaça.

De longe fisicamente ela é parecida comigo, é cara do pai, mas o jeito dela é igualzinho ao meu, adora cremes (eu não posso colocar que ela quer também), batom então é a vida dela, se puder tá sempre de vestido, há pouco tempo foi ao supermercado comigo vestida de Branca de Neve, imagem só?!

Mas nem tudo são flores, a gente se preocupa com tudo, com os resfriados, febres, se cair, se uma coleguinha não gosta dela, se os professores tratam bem, mas esses momentos é que nos fazem mais mães ainda, porque somos leoas, ninguém mexe com a nossa cria.

Vou falar mais dela, por enquanto é só pra vocês conhecerem a pequena, e por essa foto já dá pra ver que vai ser uma fashionista de plantão, assim como minha sobrinha, outra que eu não largo do pé, amigona, minha web designer e ainda me chama de dindinha.

Pois é tenho dois amores em minha vida!

Façam comentários dos seus filhos nesse post, gostaria de conhecer todos! Vamos nos unir, mães corujas do mundo blogueiro.

Até mais!